Um sonho compartilhado

“Acredito que quando a gente se propõe a viver conforme os ensinamentos de Cristo, nos preocupando com o outro, acabamos sendo testemunhas fiéis de boas coisas. Penso ser por isso, a necessidade que sempre tenho em estar partilhando os anseios e angústias,  principalmente quando se trata  dos excluídos, que  não tem voz nem vez.

Então, num desses desabafos meus com a irmã Maria Tereza sobre algumas crianças que moravam na Vila São João (a maioria dos alunos meus e outros da mesma escola onde eu era professora) em condições precárias como casas de tábuas, barracos de lona e plástico, os terrenos baldios, as ruas e os quintais cheios de lixo  em muitas casas. Quando chovia ficava pior pois alguns barracos enchiam de lama da enxurrada.

Na escola as crianças que moravam na Vila São João faltavam muito, e isso comprometia o rendimento escolar dos mesmos. Nestes alunos não se percebia perspectiva nenhuma, ficavam quase que o tempo todo nas ruas.

Diante de tudo isso e de algumas fotos que a irmã Maria Tereza viu, não teve dúvida e pediu para conhecer o bairro. Após algumas visitas e com a imensa vontade de fazer alguma coisa pelo próximo me disse de maneira simples e clara “vou morar no bairro” (assim ela se referia de maneira carinhosa à Vila São João).

Assim começou a realização de algo como o próprio nome já dá pistas de que é algo que foi sonhado, gestado, esperado e sem dúvidas grandioso … CENPRHE, Centro de Promoção Humana Emanuel.

Trago à memória um momento emocionante e inesquecível que aconteceu na missa de natal e encerramento do ano de 2009  onde todos, de maneira especial as crianças cantavam assim; -Emanuel, Emanuel, Emanuel, Deus desceu do céu, Emanuel Deus conosco está!

É com essa lembrança maravilhosa que eu  conto um pouco do nascimento do CENPRHE.

Não tem como falar desse nascimento sem pensar no evangelho, trazer presente a fé, a esperança, o sonho de alguém que  sonhou, acreditou e fez realidade porque “sonho que se sonha só, é só sonho e sonho que se sonha juntos  torna-se  realidade”. O sonho do CENPRHE foi da irmã Maria Tereza que acreditou.

O CENPRHE começou na área da primeira casa que a Irmã Maria Tereza morou, uma casa bem pequena e simples onde a área estava sempre com crianças durante o dia, a noite nessa mesma área havia reuniões com adolescentes e jovens para planejamento dos primeiros trabalhos.

Como o sonho foi partilhado, o CENPRHE foi crescendo e o espaço físico já não comportava tudo que de bom ali acontecia como: catequese, ensaios de cantos,preparação das leituras bíblicas, reforço escolar, bazar e até mesmo ouvir aqueles que necessitavam de uma conversa, de um conselho pois isso também faz da fé porque “ter fé é abrir-se ao apelo amoroso de Deus, é estar a serviço, na ajuda, na defesa, na partilha” enfim viver o evangelho ser fiel a Cristo e comprometer-se com o outro.

É como diz o cantor e compositor Zé Vicente”. Se é pra ir pra luta eu vou, se é pra estar presente eu estou, o  que vale na vida da gente é o amor”. Sim o amor, esse amor é visível no olhar das crianças, adolescentes e de todos que de alguma maneira estão presente neste espaço onde irradia a dignidade, a esperança e o prazer de viver.

Vale lembrar que no crescimento do CENPRHE o endereço mudou para uma casa maior  (alugada) para acomodar melhor e até mesmo para esperar a construção do novo espaço digno do nome e de tudo que foi sonhado e partilhado onde podemos contar com muita alegria a Deus presente sempre, sempre no nosso meio no CENPRHE.”

Professora Nilda Siqueira Xavier, em junho de 2010

Post Author: Resultados Chave